Hábitos alimentares ruins e sedentarismo são as principais causas do problema

Atualmente, devido ao início cada vez mais cedo de maus hábitos na vida, tais como alimentação inadequada, estresse, exposição ao fumo em casa e sedentarismo, as doenças cardiovasculares adquiridas deixaram de ser concentradas somente em adultos e passaram a se manifestar também em crianças e adolescentes.
De acordo a pediatra de São Paulo, Dra. Maria Júlia Carvalho, diabetes, hipertensão, colesterol alto e obesidade, por exemplo, têm atingido a população brasileira cada vez mais cedo. “Geralmente, os pais têm dificuldades para identificar essas doenças em seus filhos, pois seus sintomas não são aparentes. Por isso, é preciso ficar atento aos sinais de cansaço fora do comum, tonturas, sudorese, falta de ar e dores no peito, já que a prevenção de problemas cardiovasculares é fundamental e deve iniciar-se já nesse período da vida”, comenta a especialista.

Segundo a ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), aproximadamente 1/3 das crianças de 5 a 9 anos no Brasil está com excesso de peso. E de acordo com dados do último Consenso sobre Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), de setembro deste ano, a porcentagem de crianças e adolescentes hipertensos dobrou em relação às últimas duas décadas. Segundo informações do Ministério da Saúde, o problema está presente em 5% das crianças e adolescentes.

Para o cirurgião cardíaco do hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, Dr. Marcelo Sobral, grande parte dos problemas cardíacos nesse público é evitável. É fundamental que os pais apostem e incentivem seus filhos a praticarem hábitos saudáveis desde pequenos. “Limite o uso da TV, computador e videogame, diminua o consumo de alimentos gordurosos, embutidos, doces e enlatados em casa, incentive a prática de atividades físicas com brincadeiras ao ar livre e mantenha as consultas deles em dia. Essas pequenas atitudes podem fazer a diferença no futuro”, finaliza Sobral.